O último post de blog da série especial que apresentamos no Mês das Mulheres foi produzido pelo reforço que a Comunicação Inkiri ganhou com a Escola de Serviço que começou em janeiro. Isabelle Borges e Gustavo Pains se uniram ao time para mostrar alguns registros e impressões sobre a Comunidade Inkiri. O trabalho da dupla foi tão precioso que resultou em uma linda exposição virtual!

Voz em Mãos

“Eu tenho provas que o amor, e tão somente ele, nos habita. Ao me sentar diante das Mulheres Inkiri, olhando as mãos com olhar de primeira vez, como uma criança que se encanta ao descobrir suas extensões, eu pude ver o amor. O amor que as preenche, o amor que as faz história, o amor que é um puro ser. Mulheres que lideram e ajudam a sustentar esta comunidade, pararam para contemplar e reconhecer o que suas mãos representam para o mundo.

Este trabalho é a apresentação do início de um projeto de Arte Comunicação que apresenta a voz das mulheres a partir das mãos. As mãos aparecem com a ideia da representação da capacidade de colocarmos nossos dons criativos na matéria, de apreender o mundo, de sentir. As mãos como a extensão da totalidade, como o destino concreto daquilo que vibra e nos move. É um convite a valorizar a potência do feminino, que a priori está sendo reconhecido nas mulheres da Comunidade Inkiri em Piracanga, daquilo que elas trazem e criam aqui.

Em uma passagem servindo como seva, tive o privilégio de conduzir entrevistas e fotos com elas junto com o fotógrafo Gustavo Pains. O ato de ouvi-las me permitiu vivenciar as histórias como se eu mesma fosse uma heroína representada em suas ações, propósitos e sonhos.

Ornella, Babi, Jana, Analu, Celeste, Vanessa, Karina, Juli, Rosário, Peggy, Gabriela, Silvina, Maíra são humanas e alma. São delicadeza e força. Vontade e ação. Elas são resistência. E não é um resistir por resistir, mas sim uma resistência que denota que há algo sendo criado. Elas não renunciam suas garras, suas palmas, suas marcas a um buraco vazio. Elas preenchem, acolhem, enfrentam, cuidam.

Tudo em volta delas pulsa em constante movimento. Uma, duas, três, bate o pulso. Elas escutam as próprias batidas com intensidade e paixão e também se aproximam com verdade das batidas que as rondam. A união desse encontro faz vibrar uma energia intensa que penetra em todos os seres e tudo fica em paz. As mulheres de Inkiri Piracanga são as mãos de suas vidas… as mãos de um mundo novo”.

Texto: Isabelle Borges
Imagens: Gustavo Pains


Este conteúdo foi produzido pelos participantes da Escola de Serviço Inkiri com a supervisão da Comunicação Inkiri. Saiba mais sobre a Escola de Serviço: bit.ly/servicoinkiri

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.