Para celebrar o Dia Internacional da Mulher (8 de março), preparamos uma série de posts que vai mostrar como a energia feminina se faz presente em Inkiri Piracanga e como as mulheres têm papel fundamental tanto na história da Comunidade Inkiri quanto na construção do dia a dia do Centro Inkiri.

Foto de Peggy, Angelina e Maíra sentadas, juntas, em um sofá

A Comunidade e o Centro Inkiri nasceram do sonho de uma mulher. No sentido literal da palavra sonho. E, nas suas materializações se tornaram, de maneira natural, locais de concentração da força feminina e de encontro e união de muitas mulheres pela construção de um mundo melhor, mais equilibrado e saudável para todos.

Foto de Maíra plantando uma muda com uma criançaInkiri Piracanga é um grande laboratório de referência de novas práticas (ambientais, sociais, econômicas, educacionais, artísticas e alimentares). Um centro de transformação pessoal e coletiva em busca de uma nova maneira de habitar o planeta Terra. Que, nessa busca de caminhos para despertarmos a consciência e vivermos conectados ao coração, manifestando o amor de diversas formas, empoderou mulheres em mais de 25 funções essenciais das sua estrutura atual de organização.

Foi a partir dessa conexão sutil com o coração, com o feminino que habita todos os seres, que a Comunidade e o Centro Inkiri nasceram. E, a partir daí, foram criadas Lideranças, Conselhos e um modelo de gestão de projetos inspirado na natureza das plantas, outro aspecto feminino fundamental para a sobrevivência humana. Em Inkiri Piracanga, a presença feminina está em toda parte. Basta, por um minuto, fechar os olhos, fazer uma respiração profunda e observar.

Idealização e fundação

Ainda criança, a jovem Angelina Ataíde escreveu, em um diário, sobre um mundo onde as crianças podiam ser felizes e todos os seres viverem livres de sofrimento (alerta: começamos a contar aqui uma história que, assim como todas, é muito mais interessante de ser ouvida da boca da própria protagonista!).

Foto de Angelina Ataíde

Já adulta, enquanto fazia um estudo pessoal de autoconhecimento, a portuguesa que hoje é como uma mãe para a Comunidade Inkiri, lembrou de um sonho em que nadava com golfinhos e era levada por eles a uma praia maravilhosa, onde havia um rio e um lugar de natureza exuberante.

Na época, Angelina foi alertada por um xamã, seu professor de sonhos, que este era o mais importante da sua vida. Dele, ela ouviu: “Este é o lugar onde você vai passar todo o restante da sua vida. Ao encontrá-lo, deixe tudo e vá para lá”.

Anos depois, no início de 2003, Angelina fazia um passeio pelo Brasil. Após realizar o sonho de nadar com este animal que se mostrou o mais importante em sua jornada (seu animal totem!) na Praia de Pipa (RN), estendeu sua viagem até Itacaré (BA) para visitar um amigo. Lá, soube de um lugar muito bonito na região, que tinha acesso apenas pelo mar. E, ao chegar ao local, recebeu a notícia de que o barco não podia atracar na praia. Que, para chegar até ela, teria que ir nadando.

Angelina conta que não teve dúvidas: pulou na água. Ao sair do mar, deu alguns passos até avistar o rio Piracanga e começar a chorar. Era ele: o lugar dos seus sonhos!

A Comunidade e o Centro Inkiri nasceram da intuição de Angelina, de encerrar um capítulo da sua vida, em Portugal, e apostar na compra do terreno de uma fazenda de cocos abandonada, assim como na construção de uma nova vida, em um novo país.

Ao longo dos últimos 15 anos, desde o dia 7 de abril de 2003, a Comunidade e o Centro Inkiri vêm se transformando e possibilitando que diversas pessoas que passam por Inkiri Piracanga também reconheçam as suas histórias, conheçam a si mesmas, se acolham e, a partir daí, se transformem.

Liderança feminina

A Comunidade Inkiri é uma comunidade intencional. Comprometida com a realização do sonho de reconhecer e manifestar o Amor e a Verdade que existe em todos e em todos os lugares. A começar pelo nome, que vem de um cumprimento: Inkiri significa “O amor em mim saúda o amor em você”. E, para dar conta da materialização e realização do Sonho Inkiri, a Comunidade conta com a liderança de pessoas que acreditam nele, ao mesmo tempo que se dedicam ao autoconhecimento. Principalmente mulheres.

Atualmente, a Liderança da Comunidade Inkiri é formada por nove pessoas. E, de maneira muito natural, ao mesmo tempo que não por acaso, sete delas são mulheres. É com essa energia acolhedora e compreensiva feminina, facilmente percebida no papel de mãe, que elas guardam este Sonho.

Conselhos e modelo de gestão

No decorrer dos últimos anos, a Comunidade Inkiri vivenciou vários sistemas políticos e experimentou alguns modelos de gestão de projetos. Hoje, as decisões da Comunidade, assim como as do Centro Inkiri, passam por conselhos.

O principal conselho inkiri, o da própria Comunidade, é formado por seis mulheres. Outros dois, o Conselho da Saúde e Bem-Estar e o Conselho da Natureza, também contam com a condução feminina (Juliana Faber e Maíra Sagnori, respectivamente, e Vanessa Ruiz no Conselho da Comunidade). E com a melhor maneira que os inkiris encontraram para organizar a estrutura dos seus projetos não podia ser diferente: ela foi inspirada em uma grande representação do feminino, a natureza. Mais especificamente, na das plantas.

No lugar de pirâmide, em que o coordenador de um projeto está hierarquicamente acima dos outros colaboradores, o formato do modelo de gestão adotado em Inkiri Piracanga é orgânico e natural. A raiz de um projeto, que está estruturalmente localizada abaixo, é responsável pelo seu sustento. Por buscar, no contato direto com outros projetos e com o mundo externo, todos os nutrientes necessários para a sua sustentabilidade e sobrevivência. E, além da raiz, também há um tronco, galhos, folhas e flores nos projetos inkiri (o aprofundamento deste assunto deixamos para outro momento!).

Foto de Celeste Chiarotti conduzindo atividade com um grupo de mulheresDos mais de 20 projetos existentes atualmente em Inkiri Piracanga, pelo menos 10 contam com raizes femininas. E muitos deles têm importante papel na sustentabilidade e sobrevivência da própria Comunidade, do Centro, e de Inkiri Piracanga como um todo. Por exemplo, o Banco Inkiri (Silvina Dayan), Ecologia Inkiri (Maíra Sagnori), Plante! Inkiri (Juliana Faber), Escola Inkiri (Karina Clark), Recepção e Acomodação Inkiri (Adriana Porchat), Eventos Inkiri (Gabriela Chavantes), Restaurante Inkiri (Ana Patrícia), Café Lótus (Isabela Paganini), Comunicação (Vanessa Ruiz) e SER Inkiri (Janaina Riccioppo).

Sem falar na Escola da Aura (liderada por Angelina Ataíde, Celeste Chiarotti e Amélia Clark). Ao lado da Escola Inkiri e da Universidade Viva Inkiri, este é um projeto que tem papel fundamental na história de Inkiri Piracanga. Que compõe a Educação Inkiri, um dos pilares desta Comunidade que, além de intencional, também é de aprendizado. Muito aprendizado, vale destacar. E muito disso a partir do que o convívio com o feminino tem a nos ensinar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *