Como compreender que a água, um elemento que está presente em nossos corpos e por todo o planeta, é absolutamente fundamental para a manutenção da vida? Com o propósito de responder a esse e outros questionamentos sobre a importância da água surgiu o livro Somos Água, de autoria de Juliana Faber, membro da Comunidade Inkiri que criou a marca de produtos biodegradáveis Plante! Inkiri e o Templo das Águas em Inkiri Piracanga. Contribua para a materialização deste sonho!

No livro Somos Água, Juliana Faber toca os corações e a alma de adultos e crianças através de auto-reflexões e percepções, além de cores e imagens encantadoras ilustradas pela artista Celeste Deza. “Se somos mais de 70% de água, é muito importante nos conectarmos com esse elemento que também é uma super ferramenta de cura. Conseguimos curar a maioria das doenças fazendo uso da água enquanto elemento físico e sutil”, explica a autora.

O livro Somos Água é fruto de tudo que eu faço e vivo em Inkiri Piracanga. É uma materialização do trabalho que eu realizo todos os dias e do que adoto para a minha vida. Estou há quase oito anos em um espaço de água. Temos um lençol freático próximo à superfície, na Mata Atlântica, que é extremamente úmida. Estamos próximos do rio e do mar. O cuidado com a água é um dos nossos temas centrais enquanto Comunidade. Me sinto segura de tocar esse projeto porque tenho o apoio da Comunidade Inkiri.

Juli conta que há tempos tinha o desejo de levar essa mensagem da importância e do cuidado com as águas para o mundo, para além dos três mil visitantes que passam por Inkiri Piracanga a cada ano. “A resposta veio durante uma vivência de Yoga dos Elementos trazida pela Rita Goldrajch, que é uma professora que escreveu um livro sobre os Elementais. À medida que ela lia o livro, que também é infantojuvenil, super encantador, ia trazendo exercícios de elevação da consciência. Desde ássanas, mudras, terapia do riso e meditações, até reflexões internas. Durante uma meditação de imaginação de cores, me veio uma voz interna falando para publicar um livro sobre água“.

Um ponto muito importante para Juli é que todo o ciclo do livro seja regenerativo. Que ele traga vida em todos os aspectos desde o início. “Eu já tinha o texto, que foi uma meditação que criei para um evento e faço nas vivências que facilito no Templo das Águas. Sentia que faltava alguma coisa e, quando a orientação de fazer o livro chegou, foi como se tivesse completado a informação: um livro é muito mais do que uma meditação, ele dá vida para as palavras através das cores, da poesia. É um encantamento que ele traz. E me veio os detalhes, de quem ilustraria; que deveria ser por meio de um financiamento coletivo, que é uma ferramenta de engajamento em relação a um tema. E foi aí que me lembrei de uma indicação e um contato recente que havia feito com a Bambual Editora“.

“Vejo que muito mais que a edição e publicação de um livro, é como um chamado das próprias águas. É ir além de algo material, é a adoção de uma ideia de cuidado. Quando eu chamo as pessoas é muito para o lugar de ‘como podemos, juntos, transbordar o cuidado e o amor das águas pelo o mundo?’. Este é um chamado para que possamos sentir, cada vez mais, a importância deste elemento nas nossas vidas. Que é mais que um elemento, é um organismo vivo que tem forma, se movimenta, tem memória, do qual nós e o planeta somos compostos. Que possamos nos perceber como água e receber esse chamado!”.

Apoio de amigos

Na campanha pela materialização do livro Somos Água, Juli conta com o apoio de muitos amigos, tanto online quanto offline. Ela tem compartilhado algumas mensagens no Instagram:

“Somos Água!!! Muitas emoções hoje na execução do desenho!!! Comecei cedo, umas 6h40. Maré baixa, Sol da manhã e vento sul de inverno… Já prevendo uma mudança na paisagem. O desenho era grande e trabalhoso, bem mais que eu imaginava. O tempo foi mudando, cansaço e incômodos físicos, pelos movimentos repetitivos, e desânimo batendo com a possibilidade de ter que desistir… A chuva chega… E agora? Paro ou não? Não vai dar para fotografar com o drone, que faço? Aceito a chuva, solto as expectativas e continuo? A chuva me refresca, continuo… De repente, uma janela no céu! Corro, pego o drone e tenho 2 minutos para fotografar: desaba o temporal!!! Resultado surpreendente! A mandala ‘Somos Água’ está parcialmente dissolvida, já pela maré crescida e pela chuva, e com um boa história para contar. A arte foi feita em homenagem à @julisomosagua, que está lançando a campanha para a realização de mais um sonho, do livro ‘Somos Água’. Vamos apoiar!!!”, publicou no Instagram o fotógrafo João Vianna (@olhodaguafotografia).

Faça a sua contribuição!

Você também sente o chamado das águas? Clique aqui para acessar a página do financiamento coletivo e contribuir para a materialização do sonho da Juli, que é um sonho da Comunidade Inkiri!


Foto da Juliana Faber dentro do Rio Piracanga, parte da série Mulheres Inkiri: voz em mãosJuliana Faber se dedica a sensibilizar as pessoas da conexão profunda entre as plantas e as nossas Águas. A Educação Ecológica, Permacultura, a produção de cosméticos e outros produtos naturais são as formas de manifestar essa conexão. Viveu em Institutos de Permacultura (IPEP-Instituto de Permacultura da Pampa e IPEC- Instituto de Permacultura do Cerrado) por sete anos e praticou com grandes nomes da Permacultura, irradiando por cursos e vivências o que tem vivido. Na Comunidade Inkiri criou a marca Plante!, de produtos de higiene pessoal e limpeza biodegradáveis, e onde é guardiã do Templo das Águas, núcleo de cuidado das Águas e de soluções em pequena escala. É uma apaixonada pela vida, pela Natureza e, através da simplicidade, procura inspirar as pessoas para a comunhão com a Terra e a conexão com sua natureza interna e externa. Água é fluxo, é movimento, é informação e memória, é vida, é amor, através da consciência de que somos Água podemos trilha o caminho do autoconhecimento e da cura do planeta.