A busca por uma alimentação consciente deve ser uma das prioridades da nossa vida. Para se ter uma ideia, a Organização das Nações Unidas (ONU), ao criar a sua manifestação para mudar o mundo em 2015, listou 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), alguns deles estão ligados com o tema da alimentação ou a mencionam diretamente, como é o caso da ODS2, que busca “acabar com a fome, alcançar a segurança alimentar e melhoria da nutrição e promover a agricultura sustentável”.

alimentação consciente - vini

O fato é que na correria cotidiana, acabamos deixando de lado esse olhar mais atento para os alimentos que ingerimos ao longo do dia. Entrar nesse piloto automático não é bom, pois é justamente através da presença nas atividades diárias, que podemos tomar consciência dos nossos padrões e escolher levá-las com mais naturalidade e leveza.

Portanto, para que você possa entender mais sobre esse assunto, preparamos esse conteúdo trazendo essa reflexão sobre a relação com os alimentos e, principalmente, no quanto essa consciência pode dizer muito sobre nós mesmos. Continue acompanhando a leitura conosco para saber mais!

O que é a relação com os alimentos?

Podemos dizer que a relação com os alimentos nada mais é do que uma das maneiras de se relacionar consigo mesmo, pois, quer queira ou quer não, estamos nutrindo o nosso corpo. Então, convidamos você a fazer a seguinte reflexão: “com o que estou escolhendo me alimentar?”

Notamos que na maioria das vezes, essa relação está conectada com dinâmicas diferentes das que estão ligadas ao propósito de fornecer ao corpo o que ele realmente precisa. Hoje, esse processo está muito mais conectado com preencher alguns “vazios” da nossa vida,principalmente para suprir necessidades emocionais que não estão sendo atendidas.

Faça um exercício: olhe para si mesmo e tente entender qual é o seu comportamento em relação a comida quando sente-se triste, feliz, ansioso, deprimido, dentre outros sentimentos. Você come demais? Come pouco? Ou simplesmente não consegue comer? Existe algum alimento recorrente? Algo que é ingerido em excesso?

É muito fácil identificar essas mudanças na alimentação em situações de stress. principalmente quando ocorre uma grande mudança no nosso cotidiano. Observe algumas situações de encerramento ou começo de novos ciclos em sua vida, como final de relacionamento, emprego ou mudança de casa. Veja se consegue identificar algum desequilíbrio nessas situações. Observe sem julgamentos. Apenas aproveite para tomar mais consciência de si. Por isso, podemos dizer seguramente que a relação com os alimentos é uma excelente ferramenta para o autoconhecimento.

Como a relação com os alimentos pode trazer uma maior consciência para a sua vida?

Aprofundando um pouco mais no assunto, o que acha de começar a pensar em como essa ferramenta para o autoconhecimento pode estar a serviço de nós mesmos?

Sabe quando bate aquela vontade de comer algo específico, como um doce, por exemplo? Somos frequentemente guiados por esses desejos, com a ilusão de que aquilo é necessário para o nosso corpo físico. Mas nem sempre quem está pedindo é o corpo. Se você abrir um pouco mais a cabeça, entenderá que o alimento não nutre somente o plano físico, mas também outras vertentes da vida, tal como a emocional, espiritual e energética. Então é muito comum confundirmos de onde vem a necessidade. Pode ser que você esteja longe de casa e o seu emocional esteja pedindo um bolo parecido com o da sua mãe, para matar a saudades, e está tudo bem.  Não precisamos ser duros conosco e simplesmente deixar de comer algo quando essa vontade vem. Só precisamos prestar atenção para não deixarmos esses impulsos tomarem conta da nossa vida.

Por isso, é preciso entender que com toda a variedade de alimentos que temos disponíveis hoje, há diversos grupos e combinações que atendem às necessidades diferentes. Existem comidas que ajudam a elevar a nossa vibração, que auxiliam a desenvolver o processo de ter o pé mais no chão, que trazem mais clareza para nossa rotina, ou que simplesmente fazem uma limpeza no nosso corpo, dentre muitas outras.

Além disso, quando deixamos de lado a lógica da escassez, do alimento como uma forma de tapar buracos, fica muito mais fácil perceber que ele tem uma abundante capacidade de criação, ao promover saúde, gerar energia e abrir novos caminhos em nossas vidas. Quando experimentamos essa nova perspectiva, percebemos que a alimentação é uma potente ferramenta para expandir o nosso mundo interno e externo, entrar em contato com o nosso corpo, nossa história e também com a história e cultura de diferentes povos.

Existe certo e errado na nossa relação com os alimentos?

Apesar da existência de alimentos e tipos de refeições que não fazem bem para a saúde, não é possível criar uma divisão entre certo e errado quando o assunto é a nossa relação com o alimento. Como já mencionamos, o alimento cumpre diversos papéis nas nossas vidas, não apenas o nutricional. Então, ao invés de se prender a essas definições, o ideal é considerar o ser humano visto por uma perspectiva holística e criar um espaço em que seja fácil administrar esse grande cardápio da vida, colocando-o para trabalhar em função do que você realmente está precisando.

Todo esse processo começa quando você traz para a consciência a noção do alimento. Assim como falamos anteriormente, nem tudo o que comemos nos alimenta da maneira que deveria. Comemos simplesmente porque temos vontade, ou então, para saciar a fome ao longo do dia, já que sabemos que é necessário comer algo para nos sustentar.

Junto a isso, busque experimentar uma alimentação mais saudável, percebendo que ela pode ser uma experiência muito saborosa. Muitas pessoas ainda pensam que comer de forma eficiente seja algo chato e trabalhoso, mas isso não é real. Precisamos ressignificar o alimento em nossas vidas.

Criar refeições simples, nutritivas e gostosas, em que cada ingrediente é um alimento de verdade para a sua vida, é completamente possível. Basta estar disposto a experimentar novos sabores, explorar a sua criatividade e a lançar um novo olhar sobre a sua alimentação.

Como ter uma alimentação consciente e mais leve?

Para finalizar, preparamos 5 dicas para você que quer ter uma alimentação mais leve e consciente. Veja quais são elas:

alimentação consciente - bryan

1. Esteja presente no momento da refeição

A primeira dica toca muito em uma situação que é cada vez mais comum na rotina das pessoas: a falta de presença no momento de comer. Afinal, se tornou um hábito fazer outras atividades ou pensar em outras coisas enquanto comemos.

Pare e pense: quantas vezes você já não comeu conversando sem parar, assistindo TV ou mexendo no celular? Pode parecer bobagem, mas estar presente no momento da refeição é muito importante para absorver tudo o que o alimento tem de bom para oferecer. Somente quando prestamos atenção e nos conectamos com a comida somos capazes de identificar as nossas escolhas e observar se estamos satisfeitos com isso.

2. Mastigue devagar

Comer devagar é uma das práticas mais importantes do Slow Food, um movimento que preza pelo ritmo saudável em todas as etapas da alimentação. Mas sabemos que essa ainda é uma realidade distante para muitas pessoas. Se você também sofre para lidar com o tempo, mas mesmo assim deseja estreitar a sua relação com a sua alimentação, nós temos uma dica para você: comece escolhendo apenas uma refeição para dedicar mais tempo.

Busque um momento para você mastigar com calma e realmente sentir os sabores dos ingredientes do seu prato, sem preocupações externas. O simples ato de comer devagar vai te ajudar a aguçar o seu paladar, aumentar a sensação de saciedade e fortalecer a sua conexão com os alimentos. Desfrute!

3. Experimente coisas novas

Outro ponto importante está na adesão daquilo que é novo nesse mundo da alimentação. Seja por costume ou facilidade, acabamos repetindo com uma certa frequência o ato de nos alimentarmos sempre das mesmas coisas. Isso chega a um ponto em que acaba virando um ciclo.

Então, abra a cabeça para novos alimentos e vertentes culinárias entrarem na sua vida, e aproveite para entender o benefício de cada uma delas. Dessa forma, é possível criar novas variedades e nutrir todas os aspectos que precisamos para viver com qualidade.

4. Coloque uma boa intenção

Muitas vezes acabamos ligando o modo automático quando estamos comendo e o propósito daquela refeição se torna um tanto quanto vazio, limitando aquele momento apenas para saciar a fome.

Uma forma de evitar isso é se você, antes de comer, colocar uma boa intenção para aquela refeição. Pode ser algo simples, como desejar ter um bom dia, ou até algo mais específico, como desejar que um compromisso futuro tenha um bom desfecho. Essa prática transforma a refeição num poderoso momento de alinhamento interno e de manifestação dos nossos objetivos no momento presente.

5. Agradeça

Comer sem nenhum outro propósito além de saciar a fome não é a única forma de desperdiçar o poder das nossas refeições. Nós também fazemos isso quando comemos sem reconhecer e agradecer pelos alimentos que nos nutrem e pela forma como foram gerados. Lembre-se que se alimentar é trazer nutrição e vitalidade para todos os lados da vida. Então, aproveite para agradecer a todas as mãos que passaram pelos alimentos até chegarem a sua mesa. Ao fazer isso, você também irá nutrir toda essa cadeia de pessoas. Reconheça também a importância da terra, da água e do sol. Eles geraram e nutriram os alimentos da forma que são. Aproveite esse momento para honrar os alimentos que são orgânicos e produzidos por pequenos agricultores. Use essa prática para também se conectar com a natureza e agradecer pelo papel fundamental que ela exerce em nossa alimentação.

Deu para notar que a relação com os alimentos pode nos ajudar muito a ter uma vida melhor, certo? Então, não perca tempo e comece de alguma maneira a praticar essa nova forma de se relacionar com a alimentação na sua vida.


Quer saber mais sobre as receitas simples e saborosas do Açaí do Mar Inkiri de graça?