Você já pensou em levar uma vida simples? O que mais buscamos é a felicidade. Queremos ser amados, nos dedicamos para conquistar a prosperidade e o reconhecimento, fazemos tudo o que nos ensinaram para termos sucesso na vida. Mas, no fundo, há sempre um incômodo, uma insatisfação que nos assombra.

Na ânsia de resolvermos nossas questões, entramos no modo automático e acabamos buscando soluções relacionadas ao consumo exagerado, ou então praticamos a exposição desmedida nas redes sociais.

No geral, o incômodo permanece e muitas vezes parece que a vida fica mais pesada e ainda mais complicada. São nesses momentos que nos perguntamos: O que estou fazendo com a minha vida? Qual sentido tem tudo isso? Por que estou envolvido em tantas coisas se quase nada faz sentido?

Esses momentos são grandes oportunidades de repensarmos nossa existência, e muitas vezes percebemos que o que mais faz sentido na nossa vida é o que há de mais simples: um banho de rio, a contemplação de um pôr do sol, um café da manhã com a família, o sorriso de uma criança, o aroma e a beleza de uma flor.

Como ter uma vida simples?

Criadora da Plante! Inkiri e guardiã do Templo das Águas, em Inkiri Piracanga, Juliana Faber descobriu desde cedo que a vida poderia ser mais simples, mas só adulta escolheu a simplicidade como estilo de vida. Juli, como é chamada pela Comunidade Inkiri, nos conta que optou por pequenos prazeres que fazem toda diferença na sua vida: beber água pura, direto de um filtro de barro, andar descalça e sentir os pés livres e conectados com a terra, colher uma fruta do pé, tomar banho de rio e brincar com o filho.

Ela revela ter descoberto que essas pequenas coisas traziam a verdadeira felicidade para a sua vida. Vivendo tudo isso junto com o seu trabalho interior, descobriu também que a felicidade só é verdadeira se compartilhada. Então, nos trouxe algumas dicas simples que podem ajudar na conquista de uma vida mais alegre e feliz! Confira:

1 – Comece a olhar para os ciclos

Antes de consumir, faça uma reflexão da história de tudo que chega até você. Perguntas que podem ajudar nessa missão são:

  • Como isso foi produzido?
  • Quem produziu esse produto?
  • Com qual intenção isso foi criado?

Pensar desta maneira vai gerar uma vontade de se conectar com histórias e ciclos bonitos, que proporcionam mais vida e regeneração.

2 – Repense a sua relação com os alimentos

Comer pode ser uma das coisas que mais nos dá prazer, não é mesmo? Mas isso não quer dizer que precisamos nos entupir de comida, muito menos ingerir qualquer coisa que aparece na nossa frente, ou que é de fácil acesso.

Portanto, faça uma reflexão sobre o que realmente nutre o seu corpo, traz alegria para a sua vida e contribui com a sua saúde. Temos um outro post aqui no blog que fala sobre isso com mais detalhes, clique aqui para acessar.

3 – Faça uma análise do que você compra

Aqui, a dica é para você observar os produtos que usa no seu dia a dia. Independentemente se você utiliza um produto diretamente no seu corpo ou na sua casa, será que ele contribui para uma vida mais saudável, trazendo a cura e uma limpeza mais verdadeira, ou apenas polui o seu corpo e o seu espaço?

É importante olhar para o quanto os produtos estão contribuindo para que não haja mais danos para o seu corpo, para a Terra e, principalmente, para a nossa água!

4 – Cuide bem de si mesm@

Levar uma vida simples não significa que é preciso abdicar dos cuidados consigo mesm@. Então, não deixe isso de lado! Dedique um tempo para você cuidar da sua saúde física, mental e emocional.

Pode parecer besteira, mas o autocuidado deve ser uma das prioridades das nossas vidas. Ele é uma das bases para que possamos estar todos os dias de pé, e firmes no nosso propósito de vida.

5 – Repense a relação com os seus resíduos

Muitos acabam não percebendo, mas a geração de resíduos é intensa todos os dias. Basta consumirmos qualquer coisa que venha embalada em um plástico e pronto, já estamos gerando lixo para o nosso planeta. Então, o convite é para repensar o fim que damos para esses resíduos: você joga tudo fora ou tenta sair da caixinha, lembra que são recursos finitos da terra e procura uma solução alternativa para que não vire apenas um lixo?

Se perceber enquanto Natureza e saber que pertencemos ao grande ciclo da vida nos leva para um espaço de autorresponsabilidade. Tudo que fazemos tem consequências em nossas vidas como um todo. A semeadura pode até ser inconsciente, em alguns momentos, mas a colheita é inevitável. Esta é uma lei da Natureza da qual fazemos parte.

Temos a possibilidade de fazer com que nossas ações sejam benéficas para o todo. Esse é o convite que Juli faz com o retiro Viva Simples – Ferramentas para um novo estilo de vida. É um chamado para repensemos nossas atitudes enquanto seres humanos. Afinal, podemos, sim, nos sentir bem-vindos na Terra. Nossas ações podem, sim, regenerar este Planeta.

Topa participar do próximo curso? O retiro será em Inkiri Piracanga, de 26 a 29 de maio. Clique aqui para mais informações e fazer a sua inscrição!


Foto da Juliana Faber dentro do Rio Piracanga, parte da série Mulheres Inkiri: voz em mãos Juliana Faber se dedica a sensibilizar as pessoas da conexão profunda entre as plantas e as nossas Águas. A Educação Ecológica, Permacultura, a produção de cosméticos e outros produtos naturais são as formas de manifestar essa conexão. Viveu em Institutos de Permacultura (IPEP-Instituto de Permacultura da Pampa e IPEC- Instituto de Permacultura do Cerrado) por sete anos e praticou com grandes nomes da Permacultura, irradiando por cursos e vivências o que tem vivido. Na Comunidade Inkiri criou a marca Plante!, de produtos de higiene pessoal e limpeza biodegradáveis, e onde é guardiã do Templo das Águas, núcleo de cuidado das Águas e de soluções em pequena escala. É uma apaixonada pela vida, pela Natureza e, através da simplicidade, procura inspirar as pessoas para a comunhão com a Terra e a conexão com sua natureza interna e externa. Água é fluxo, é movimento, é informação e memória, é vida, é amor, através da consciência de que somos Água podemos trilha o caminho do autoconhecimento e da cura do planeta.