Se queremos viver em harmonia com a natureza, precisamos aprender a reconhecer e respeitar os nossos próprios ciclos e seus singulares ritmos e tempos de duração. Precisamos compreender que as pessoas também invernam e que viver cada estação em sua plenitude é uma prática revolucionária de amor próprio.invernoNós vivemos muito apegados aos frutos da colheita. Somos movidos pela produtividade e pelos resultados. Passamos o mais rápido possível pelas outras fases do processo, sempre mirando a palpável obra final.

Quando criamos um projeto novo, temos pressa para ver os resultados. Ficamos ansiosos para colher os frutos. Assim, buscamos formas e metodologias para acelerar o processo, para o projeto crescer mais rápido. Fazemos de tudo para as coisas acontecerem logo, no momento que queremos. Mas será que essa aceleração não atrapalha o processo de aprendizagem? Será que não estamos desrespeitando e passando por cima de nós e do tempo próprio de cada ciclo?

Os ciclos naturais da vida

Cada estação tem seu cheiro próprio e tempo natural. As plantas não tentam fazer as folhas do Outono caírem mais rápido, para a estação passar logo. Não tentam fugir ou mascarar o Inverno. Pelo contrário, as plantas vivem o processo de cada estação em sua plenitude. Se observarmos bem, veremos que a natureza está o tempo todo nos mostrando a beleza singular de cada etapa e a importância dessa ciclicidade para a manutenção da vida.

Há prazer no plantio e na manutenção, assim como também há sabedoria na mudança e na renovação. Esses processos acontecem com toda a natureza e são tão especiais quanto à colheita. Se em vez de ficarmos ansiosas/os com a demora dos resultados, com o verão atrasado ou com os frutos que não chegam, nós passarmos a curtir a sustentação de cada ciclo, nós vamos nos surpreender com as virtudes que protegemos no nosso inverno.

Inverno: um tesouro para o ser humano

Quando nosso corpo inverna, ele resguarda o cultivo de uma calma absoluta. Nessa introspecção podemos descobrir alguns tesouros, como: a presença, a conexão com os sonhos dormidos e acordados e o amor profundo pelas nossas raízes.

Só vamos conseguir acessar essas e outras virtudes, se pararmos de correr em alta performance. Aliás, só vamos conseguir obter e usufruir o rendimento que buscamos, se a gente aprender a descansar. Nossa vida é, assim como nossos projetos, uma jornada com retas, curvas e ladeiras. Vamos passar por momentos que exigem que a gente mude de marcha e desacelere. Respeitar isso é fundamental para prosseguir em paz. 

Se continuarmos sempre em alta velocidade acabamos passando reto pelos trechos mais bonitos da estrada. Não curtimos a beleza da vista da nossa vida hoje e nem dos últimos passos. Por isso é preciso pausar para conseguir apreciar a vida, para olhar o caminho já trilhado e o lugar onde estamos agora. Essa desaceleração no ritmo faz parte da dinâmica do inverno, como um convite para reconhecer nossas conquistas e saborear os frutos já colhidos.

Inverno: um convite para harmonizar com a vida

No inverno nós podemos regar o nosso jardim, nos recolher, cuidar da nossa energia e dar mais atenção para aquilo que realmente queremos que cresça. É um momento para reconhecermos que não sabemos tudo e que isso é saudável. Questionar as certezas e buscar novas respostas e soluções é essencial para a nossa evolução. Assim, o inverno nos convida a hibernar para mergulhar numa revisão da nossa vida, a desapegar do que precisa partir e a redirecionar a nossa energia para o que realmente importa.

Aceitar esse convite é receber a divina sabedoria dos ciclos da vida. Ao reconhecer que fazemos parte da natureza, de um macro interligado, conseguimos nos harmonizar com o todo e abrir espaço para respeitarmos os nossos ciclos internos. Dessa forma, conseguimos descobrir nossas próprias estações e nos realinhar com as necessidades de cada momento. 

Hoje começa o inverno e ele nos chama para nos sintonizarmos com um novo momento da vida. Você consegue sentir o cheiro da nova estação passando por você? Sim, está em você. As pessoas também invernam. Será que você tem tempo para rever as suas prioridades e redirecionar a sua energia? Tem disponibilidade para experimentar uma mudança na sua rotina? 

O inverno te convida para harmonizar com a vida, a cuidar de você e a desenvolver o seu amor próprio. Como você pode atender a esse chamado?

Texto de Raquel Taffari