Por Carolina Farah (Facilitadora da Universidade Viva Inkiri | Piracanga / BA)

Vamos começar com um pequeno exercício. Fazer um minuto de silêncio! Feche os olhos um pouco e me diga: qual imagem você vê quando pensa em APRENDER?

A primeira imagem que me vem à cabeça é uma sala de aula com pessoas sentadas, lendo ou ouvindo para absorver novos conhecimentos. Para você também?

Essa mistura entre aprender e sentar em uma sala de aula me chama a atenção. Lembro dos alunos “CDFs” que, assim como eu, são tão inteligentes e dedicados, mas que levam esse apelido em uma homenagem nada agradável ao formato da sua bunda depois de horas e horas sentados, estudando!

E, olha, vou te falar que essa ideia de educação é antiga: são mais de 150 anos de alunos sentados em salas de aula! O que aprendemos sobre aprender é que essa é uma atividade passiva e sentada. É assim que a gente tem feito, é assim que a gente aprendeu.

 Já parou para pensar nisso?

Um novo olhar para o aprendizado

Fiquei tão surpresa quando conheci um grupo de jovens europeus que desenvolveu uma metodologia para aprender ANDANDO! 
Aprender andando? Como? Sem sala de aula? Quem ensina quem? Aprende o que?

Na receita das jornadas de aprendizagem andarilhas, substituímos o sentar pelo andar, a sala de aula pela natureza e a aprendizagem passiva pela ativa.

Assim como em qualquer processo educativo, nos guiam de um ponto A para um ponto B. A grande sacada é que, nesse tipo de jornada, nos movemos não só dentro como também fora de nós! A caminhada serve como uma grande ferramenta potencializadora do desenvolvimento. Andar é uma das mais antigas atividades humanas. É orgânico, fluído, desafiador e gratificante.

Uma nova proposta de aprendizado

A Universidade Viva Inkiri decidiu unir proposta de educação integral (autoconhecimento + vida em comunidade + contato com a natureza) com a metodologia das jornadas andarilhas. E assim nasceu a UNI TRAVESSIA – Vale do Pati!

De 15 a 23 de junho, a Uni levará um grupo de 15 jovens para uma aventura de profunda transformação no Vale do Pati, na Chapada Diamantina, onde caminharemos dentro e fora de nós em busca da nossa AUTENTICIDADE.

Serão 8 dias de viagem, 5 dias de trilha e 70km andando em meio à natureza mágica da Chapada! Tudo isso guiado e conduzido pelos facilitadores da Uni, que são especialistas em promover a união e a integração de grupos de jovens, conduzir a galera em processos profundos de autoconhecimento e promover verdadeiras conexões!

Quer saber mais? Clique aqui e acesse a página com informações sobre a UNI TRAVESSIA – Vale do Pati | 15 a 23 de junho


Carolina Farah é facilitadora de grupos, palhaça, artista e viajante. Desde os 18 anos, quando conheceu Piracanga e participou da Uni, Carol vive uma jornada de profunda autodescoberta e experimentação. Hoje, desenvolve sua própria jornada de aprendizagem, com foco na investigação da força do coletivo e de modelos alternativos para a educação. Sua atuação na Uni é parte desse caminho de formação e também uma forma de agradecer e apoiar esse projeto em que tanto acredita. É responsável pela arte e a comunicação dentro da Uni.