Por Yu Stavale (Equipe Alimentação Inkiri – Piracanga / BA)

Comida é um pilar essencial de boa saúde, isso todos já sabem. E se olharmos o ato de nos alimentarmos como uma oportunidade de empoderamento de nós mesmos e da nossa vida? Thomas Morus, o maior humanista do Renascimento, foi assertivo ao dizer: “Qualquer mudança começa pela comida. Vamos comer alimentos locais, orgânicos, sazonais e deliciosos. Vamos lidar com os alimentos com as nossas próprias mãos, e não deixar a sua produção apenas nas mãos das corporações“.

Está na hora de tomar consciência sobre o que de fato estamos ingerindo. Da onde vem aquele alimento que está no meu prato? Estamos falando de um momento planetário onde nos encontramos desconectados do que nos faz bem, seja em aspectos alimentares ou hábitos de vida. A conexão com nós mesmos está diretamente ligada à conexão que temos com o alimento.

Se você acredita que não tem tempo, vive uma vida corrida, mas quer se alimentar bem, ótimo! É hora de se empoderar de suas escolhas. Onde você coloca o seu dinheiro? Em alimentos puros e produzidos com vida ou em produtos alimentícios que passaram por uma transformação tão grande que nem conservam mais suas propriedades?

Se você disser que está disposto a investir, além de dinheiro, também tempo na sua alimentação, incrível! A hora é de se debruçar, planejar, fazer compras, conhecer os produtores responsáveis pelos seus alimentos e cozinhar!

Empodere-se

Empoderar-se da sua alimentação vai além de você, indivíduo. Já parou para pensar que a produção de alimentos talvez seja um dos maiores impactos no planeta? E se muitos (ou todos) tomassem consciência disso e resolvessem mudar os hábitos? Seria uma revolução muito grande. O poder está nas nossas atitudes!

O simples fato de você escolher comprar uma fruta inteira ou picada e embalada em isopor com plástico é uma escolha que tem muitas consequências. Precisamos ter um olhar crítico e fazer escolhas conscientes.

Para diminuir o impacto que causamos ao meio ambiente basta nos conectarmos com a terra, entendermos nossas necessidades, treinarmos nosso olhar para consumir nutrientes de verdade, pois assim fugimos dos lucros rápidos, pesticidas, monocultura e interesses de curto prazo, por exemplo.

Um exercício para ajudar você nesta direção:

  1. Escolha uma refeição em que você possa tomar tempo para você mesmo, sem pressa.
  2. Sente-se e respire antes de se alimentar. Feche seus olhos e se observe. Observe sua fome, seu estômago.
  3. Faça seu prato. Escolha seus alimentos, a quantidade e o que irá comer.
  4. Comece a se conectar com aquilo que irá te nutrir. Conecte com os alimentos. Sente-se em com seu prato na frente e olhe pra ele. Observe cada alimento que irá compor a sua refeição e analise o porquê das suas escolhas.
  5. Pense de onde eles vieram. Tente imaginar por quais mãos esses alimentos passaram antes de chegar até você. Tente imaginar a terra onde eles estiveram plantados, as sementes que eles foram antes de ser o que são no momento presente.
  6. Agradeça por tudo isso. Agradeça o caminho que o alimento fez até chegar ao seu prato. Agradeça a você mesmo por escolher se alimentar com mais consciência.

A cada vez que você se conectar com os alimentos que irão te nutrir, você estará mudando internamente de onde vêm suas escolhas!

 

Quer dar mais passos em direção à alimentação consciente? Entre os dias 28 e 31 de agosto, teremos em Inkiri Piracanga a primeira edição do curso Descomplicando a Alimentação Vegana. Clique aqui para saber mais e fazer a sua inscrição!


Yu Stávale é geógrafa de formação, viajou por todo o Brasil, e disso nasceu sua admiração pela história das pessoas, pela transformação na vida de tanta gente. É self professional coach formada pelo Instituto Brasileiro de Coach, atuando em questões pessoais, de saúde e de propósito de vida. Tem ênfase na alimentação consciente e vida saudável, de modo a trazer a importância do equilíbrio e alimentação para a vida e a saúde dos clientes. Autodidata na cozinha, amante e experimentadora da culinária saudável, consciente, vegana, intuitiva e viva. Integra também no seu trabalho culinário conhecimentos da gastronomia tradicional, alimentação viva e da Ayurveda, sendo guiada pela alimentação intuitiva, através da sabedoria da consciência corporal. Comunicadora da consciência amorosa através do alimento e hábitos saudáveis, plantadora de sementes do bem.