Pratique o silêncio e descubra o que o seu espírito tem a dizer: tão simples quanto a respiração, o ato de não falar pode ser um fortíssimo elemento de conexão com a nossa própria essência e com a natureza. É com certeza uma ferramenta importante no caminho do autoconhecimento.

A prática pode ser feita a qualquer momento, em apenas um minuto ou se estender até os processos de cura de 21 dias. A terapeuta e líder da Comunidade Inkiri, Angelina Ataíde, que guia processos de cura e silêncio de 9 e de 21 dias do Centro Inkiri Piracanga apresenta três maneiras diferentes de utilizar o silêncio:

1 – Alinhamento espiritual

Silencie. Aquiete a mente. Essa é uma prática passiva e muito comum em diversas linhas de meditação. “Apenas um minuto de silêncio, como divulga Prem Baba, permite que você tenha uma conexão automática com você mesmo, com o seu espírito”, diz Angelina.

O minuto de silêncio é uma ferramenta que pode ser usada várias vezes ao dia, como por exemplo, antes de iniciar uma reunião, uma conversa delicada ou até mesmo antes das refeições. O estado de presença trará mais clareza e tranquilidade ao agir.

2 – Autoquestionamento

Os budistas com quem Angelina conviveu recomendam que, em um minuto, em qualquer momento de sua vida, você pode fazer silêncio e se perguntar: Onde eu estou? Como estou fazendo as coisas? “É um minuto de silêncio para fazer um check list, passar um scan”. 

“Por exemplo, você está lavando a louça. Pare um minuto, feche os olhos, fique em silêncio e questione-se: ‘Onde estou neste momento? Estou lavando a louça, estou zangada. Estou fazendo uma coisa e pensando em outra; estou julgando dez pessoas que antes de mim não lavaram. Ou estou lavando a louça com prazer porque estou podendo servir sem nem ninguém me ver que estou fazendo isso’. Onde você está?”.

3 – Auto-observação energética

A terceira dica é um olhar sobre nossa própria vibração, é uma auto-observação energética. “Tire também um minuto de silêncio energético e observe: ‘Onde está a minha vibração? Está alta ou está baixa? Ou é possível que eu nem saiba onde ela está”.

“Pode ser que eu veja que minha vibração está baixa porque estou cansada, não consigo nem sair da minha cama, ou que percebo que estou pensando que só quero uma rede para me deitar. Por um outro lado, pode ser que a minha vibração esteja muito agitada porque eu estou muito irritada com tudo ou a vibração esteja lá em cima e nem sei o que está acontecendo à minha volta, não estou enraizada. A proposta é essa! É ver onde está a sua vibração!”, exemplifica Angelina.

O ENCONTRO COM A SUA VOZ INTERIOR

O silêncio possibilita perceber a realidade de modo mais nítido e nos torna observadores mais conscientes. Ele ensina a reduzir distrações e a gerar uma profunda conexão interna com quem realmente somos. “Quando praticamos o silêncio, retiramos os ruídos que nos cercam e somos levamos a um lugar de clareza, que permite uma separação entre nossa essência e a agitação da mente. Nos tornamos observadores de nós mesmos e do mundo”, diz. “O silêncio te faz encontrar aquela voz interior. É um encontro consigo mesmo”.

As práticas de silêncio permitem inclusive um entendimento de nós mesmos que vai além: “Você consegue observar quando o seu autodestruidor entra em cena, quando o seu ego entra, quando o medo entra, quando a ilusão entra. Você passa a observar tudo, como um filme”, afirma.

O encontro com estas formas de pensamento é uma linda oportunidade para se curar de modo intenso e sensível. Angelina diz que isso ocorre especialmente durante os processos e retiros que combinam o silêncio, com jejuns, isolamento e contato com a natureza. “Você fica deslumbrado com quem você é. Você tem um encontro com Deus e com os anjos. Aí você começa a observar a natureza e vê como ela está viva e como se comunica com você”.


> CLIQUE AQUI E SAIBA MAIS SOBRE OS PROCESSOS DE CURA E SILÊNCIO


8 comments to “3 maneiras de praticar o silêncio, segundo Angelina Ataíde

  1. Estou me sentindo em um momento de transformação. Estou entre o que vivi e o que pretendo viver. Estou tendo muita dificuldade no desgarrar e de recomeçar. Sei que não é fácil, mas sozinho não é mole não. Lendo este lindo texto me senti mergulhado neste lugar. Quero muito ir participar deste processo de cura e silêncio.

    1. Oi Reinaldo, venha sim. Pra vc que está em transição será uma experiência essencial para prosseguir nessa travessia com bastante consciência.Esperamos te ver por aqui em breve.Com amor,

  2. Gostaria de saber dá agenda de Imersão e se eu posso a qualquer momento vivenciar os 9 ou 21 dias de silêncio?

    1. Oi Zaria, temos duas datas para o inicio dos 7,9,14 ou 21 dias de silêncio esse ano. A próxima é 23 de maio e a outra temporada acontece no final do segundo semestre. Já as imersões acontecem parte em julho e outra parte entre agosto, setembro e outubro, confira todos esses eventos clicando no link da nossa agenda AQUI.

  3. Faço essas práticas, mas de maneira intuitiva, nunca tinha lido a respeito. Sempre gostei do silêncio, hoje, mais madura, sei que ele alimenta minha alma. Silêncio não é isolamento, não é solidão. É no silêncio que vivencio a paz, o amor universal e Deus. Gostei de saber mais, obrigada!

    1. Obrigada por compartilhar a sua experiência aqui Sandra. A intuição é uma linda ferramenta que está a nosso serviço para nos fazer recordar tudo aqui que o nosso espírito já sabe. <3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *